SUGESTÃO CALDAS DA RAINHA: hep – human emotion project

18 10 2009

HEP_Portugal_MalhoaG

Apresentação

Projecto Emoção Humana – Vídeo Arte Internacional

Museu José Malhoa

 

Instalação:

20 de Outubro – 25 de Outubro de 2009

10h00 – 12h30 | 14h00 – 17h00

 

Apresentação | Projecção Contínua:

22 de Outubro de 2009

21h00h às 24h00

 

Um grupo de criadores emergentes dos mais variados quadrantes geográficos e culturais munidos da infinita possibilidade da vídeo arte, expressam as complexas forças que nos identificam como seres humanos: as emoções.

 

Partindo da extensa colecção videográfica do grupo internacional Human Emotion Project, fundado e dirigido pela artista sul-africana Alison Williams, um rol de quarenta obras videográficas seleccionadas pelo comissário português do projecto compõem um eclético programa de forte componente audiovisual patente no Museu José Malhoa a partir do dia 20 de Outubro, com uma sessão especial na noite de 22 de Outubro de 2009.

 

De assinalar a presença na sessão nocturna de apresentação do dia 22 de Outubro do Prof. Fernando Galrito como conferencista convidado e ainda da inclusão no programa de trabalhos de alunos da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (ESAD.CR) que assim se associa da melhor maneira ao evento.

 

A sessão de apresentação e a projecção contínua de vídeos promovida pelo Museu José Malhoa do Instituto dos Museus e da Conservação (MJM-IMC.IP), em parceria com o Human Emotion Project (HEP) e com a Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (IPL-ESAD.CR), terá lugar nas Caldas-da-Rainha, no Museu José Malhoa, dia 22 de Outubro, das 21h00h às 24h00.

 

De salientar que durante o período de vigência da mostra Emoção Humana – Vídeo Arte Internacional (de 20 a 25 de Outubro) estará presente na Sala Multimédia nos períodos de abertura do Museu José Malhoa ao público, uma instalação videográfica incorporando trabalhos do projecto Human Emotion e da ESAD. CR alusivos ao tema das emoções.

 

Alberto Guerreiro

Comissão | HEP Portugal

Anúncios




LIVRO DE CABECEIRA: uma terra sem gente para gente sem terra

10 09 2009

Já tinhamos falado desta terra e desta gente aqui… e agora o livro…

 alandwithoutpeople

UMA TERRA SEM GENTE PARA GENTE SEM TERRA – Um Livro de Colorir Sobre a Palestina

de Nuno Coelho e Adam Kershaw

com contribuições de Alban Biaussat, Alexandra Lucas Coelho, David Tartakover, Ferran Izquierdo Brichs, Ingrid Quiroga, Joana Bértholo, Mat Ward, Maya Pasternak, Ruba Shahrour e Tiny Domingos.

Edição de Autor

ISBN: 978-989-96355-0-0

 

UMA TERRA SEM GENTE PARA GENTE SEM TERRA é uma exposição de cartazes gráficos interactivos sobre o conflito entre Israel e a Palestina. Produz um discurso visual em torno das tensões sociais da vida quotidiana nesta região onde três continentes colidem, e propõe uma nova abordagem de pensamento sobre o conflito. O discurso é crítico, mas também irónico e, de uma forma descontraída, expõe a situação actual, convidando as pessoas a colorir os mapas e desenhos ao longo da exposição.

 

Este livro contém versões actualizadas das imagens e textos incluídos na exposição, em conjunto com novo material produzido especificamente para esta publicação, onde também são descritas as diferentes fases da sua produção e documentação, assim como o contexto político e de design através de textos pelos autores. Para além disso, colaboradores de diferentes contextos profissionais e culturais foram convidados a responder ao formato e ao conteúdo da exposição de acordo com as suas próprias perspectivas.

 

UMA TERRA SEM GENTE PARA GENTE SEM TERRA é uma edição de autor de Nuno Coelho e Adam Kershaw e inclui um conjunto de lápis de cor. O lançamento do livro é um evento incluído nos Projectos Tangenciais (programação paralela) da EXD09 – Experimenta Design Lisboa 2009.





SUGESTÃO: uma terra sem gente para gente sem terra

9 05 2008

 

A exposição “Uma Terra Sem Gente, Para Gente Sem Terra” é composta por diversos posters de grande formato, com desenhos de contorno a preto-e-branco, que convidam os visitantes a preencher de cor usando os diversos lápis dispostos para o efeito. Uma vez mais, Nuno Coelho explora no seu trabalho conceitos como o vernáculo e a interactividade do público com diversos materiais impressos.

Os posters mostram diversos mapas e gráficos, assim como desenhos realizados a partir de fotografias recolhidas na sua viagem de um mês à Palestina em 2006 onde teve um contacto íntimo com a complexa situação da região.

Com esta intervenção artística, Nuno Coelho traduz em narrativas as tensões sociais que fazem parte do quotidiano daquela região onde três continentes colidem, propondo uma nova abordagem de pensamento sobre o conflito israelo-árabe, assim como um olhar crítico mas também irónico, que poderá mostrar o absurdo da situação presente.

Essa sensação de absurdo é enfatizada ao falar da actual situação social e política recorrendo a um imaginário e uma linguagem infantil. O trabalho vai ao encontro da opinião do autor que crê que apesar de haver um discurso global sobre a Palestina, poucas pessoas conseguem ver além das imagens e títulos chocantes gerados pelos media e compreender os princípios básicos do conflito.

Para além disso torna-se importante questionar se poderá um acto artístico conter em si imenso significado político sem assumir um determinado ponto de vista ou sem aspirar a ser transgressor, subversivo ou activista. Tal como a negação da Filosofia é já de si um acto filosófico, talvez a tentativa de mostrar um trabalho apolítico seja também ela detentora de uma forte posição política.

Nuno Coelho é Designer de Comunicação, actualmente a viver e a trabalhar na cidade do Porto. O seu trabalho pode ser visto em aqui.

……….

 

A exposição contou já com várias apresentações (Lisboa, Porto, Açores, Berlim e Barcelona) e tem já confirmadas outras duas apresentações para este ano (Hobart na Austrália em Setembro e novamente Porto em Outubro).

Neste momento a exposição ainda se encontra patente em Barcelona até dia 11 de Maio na galeria Almazen.